O Eleito

terça-feira, dezembro 20, 2005

Dar A Mão À Palmatória!

Tentando analisar o debate de fora, como se eu não fosse votar:
- Mário Soares está arrumado! As alegações finais foram determinantes. As de Soares: já lá estive, dei provas; não só sei fazê-lo, como vocês sabem que eu sei fazê-lo!
As de Cavaco: não ataco ninguém, e pensem no futuro dos vossos filhos!
- Os portugueses não gostam do estilo americano, demasiado solto, agressivo; não toleraram quase meio século de ditadura por acaso: gostam de gente séria, de gente humilde, respeitadora, que veio de baixo, que foi trabalhadora-estudante, que pensa nos filhos – e isto faz-me lembrar excelente frase-slogan, no cartaz do filme Flight Panic, com Jodie Foster: se alguém lhe roubasse os seus filhos, até onde é que você iria para os recuperar?
Para mim, que não tenho filhos, a resposta é óbvia: até onde tivesse de ir, até ao fim do mundo, da vida, e sem medo. A tirada “filhos” foi muito boa. E foi uma arma legítima.

Os portugueses gostam de candidatos low-profile, mansinhos na aparência, estilo europeu discreto.
Então, um candidato vinha lembrar aos ouvidos lusitanos (Deus, Família, Hipoteca!) a segurança futura dos filhos, e não ganhava as eleições?! Estava para vir o dia! Ó meus amigos, eu quase que aposto o ordenado de Janeiro!
- Mário Soares, a certa altura, como o Karloos muito bem destaca, lembrava-me a personagem do Herman no “presidente da junta”. “Eu é que sou o presidente da junta. E já agora, deixem-me lembrar, eu é que sou o presidente da junta!”.
Os portugueses detestam gabarolas! Desculpa, Mário, na Califórnia safavas-te; aqui, com este adversário, no way!
- Cavaco tem tudo para agradar: caladinho, educadinho, bem-compostinho, respeita os senhores mais velhos... parece uma múmia, engravatada, claro, mas os portugueses gostam de múmias. Gostam, a verdade é que gostam! Paus de vassoura desvitalizados! De fato escuro. Gostam! Poucas conversas, que quem fala muito, muito erra.
- Cavaco teve excelente estratégia. A do desgraçadinho que está a ser atacado por todos os flancos, e que, por respeito, recusa ripostar.
“Filho-da-mãe daquele Soares, hein!?”, a provocar o desgraçadinho. Revelar que os amigos, políticos da Europa, lhe confidenciaram que Cavaco não sabe dialogar nas reuniões internacionais, não é um bon vivant, como ele, não tem savoir être! Muito mau. Muito baixo. Arma ilegítima.

- E depois, de mestre!, as tiradas sobre os livros. Cavaco não nos explicou o que lá escreveu: remeteu. Mas ao remeter, fez mais que isso: lembrou, “eu tenho livros, muitos: escrevi-os todos – não são entrevistas dadas à Maria João Avilez, as quais a Maria João escreveu com o seu punho - são livros a sério, de um homem sério”.
Matou quatro coelhos: não respondeu; amanhã vai acumular direitos de autor sobre livros vendidos, não efectivamente lidos, mas o que é que isso interessa?!; lembrou que Soares não tem escrito, e ganhou para si créditos de Autor sério, como se já não bastassem os de sério professor.
Quem desconhece o respeito que o português-médio, o português a dar no duro para ter a filha na universidade, tem por um bom calhamaço que ele nunca leu?! Chama-se “respeito de analfabeto”. Os livros não servem para ler, mas para expor. Uma estante, na sala, toda preenchida com livros encadernados, que nunca foram lidos, entremeados de peças Vista Alegre, isto, em casas com bom gosto: umas colecções de Júlio Dinis, de Camilo, de Eça, com todo os respeito pelos três, cada um no seu estilo; uma enciclopédia desactualizada, mas com muitos volumes, de bonita encadernação! Vermelha e dourada.
Está no papo. Não tenho dúvidas. Não as tive no dia em que Cavaco anunciou a candidatura. Depois, relativizei; pensei “o Soares!, quem é que bate a raposa velha?!”.
O lobo com pele de cordeiro! Cavaco Silva vai bater a raposa velha!
Bem, parte feliz disto tudo: consegui arranjar, pintar e secar as unhas durante o tempo do debate!

12 Comments:

Blogger David Afonso said...

Não consegui passar de «Deus, Pátria , Hipoteca!» Demasiada luz incomoda. Safa! Isabela, ainda só me livrei dos dois primeiros!...

11:34 da tarde  
Blogger Isabela said...

Sabes que eu sou míope, não sabes?! Os míopes precisam de muita luz.
Demasiada luz nunca incomoda, David. Quanto mais longe conseguirmos ver, mais espaço de manobra temos para mudar a trajectória do veículo. Não adianta tapar o Sol com a peneira. Incomodava menos, mas não é melhor. Tu sabes.

12:04 da manhã  
Blogger David Afonso said...

Sei. Sei que num país hipotecado Cavaco está condenado à vitória. Não que vá resolver alguma coisa, mas porque diz aquilo que os hipotecados precisam de ouvir. A cada rato, o seu flautista.

12:14 da manhã  
Blogger Isabela said...

Exactamente. Mas se analisares obviamente a política que temos (nós e o mundo inteiro!), e, atenção, que eu é que sou a romântica - também sabes que o que conta não é o que é, mas o que parece.
Cavaco não sabe falar, de facto, e isso lixa Soares - porque Soares não sabe lidar com esse estilo. Precisa tanto de atacar para encontrar a sua "casa" que se esquece do essencial: convencer os outros, através de uma mensagem para fora, de uma boa mensagem, e não do mero ataque ao outro, que pode ser melhor! Eu não quero o Cavaco, não sei se percebes! Mas Soares não conseguiu convencer, ele sabe-o, porque eu vi-lhe a derrota na cara e ouvi-lha na voz.
Pá, isto é a política temos. É muito mau, porque a política não é um mero jogo de estratégia, mas coisa séria, muito séria. Decide as nossas vidas. E um Presidente tem um papel importante, sim.

12:30 da manhã  
Blogger Isabela said...

Onde leste obviamente, deves ler, por erro meu, objectivamente.

12:31 da manhã  
Blogger David Afonso said...

Pois tem. Mas de hoje em diante vou tentar me convencer do contrário...

O que é deprimente nisto tudo, é que o pior Soares conseguiu superar o melhor Alegre. E Cavaco nada fez por isso...

12:35 da manhã  
Blogger Mário Almeida said...

"A cada rato, o seu flautista. "

Isto vindo de alguém que apoia Alegre, é no mínimo curioso. :-)

12:36 da manhã  
Blogger David Afonso said...

É, não é? Mas eu não me defino como «alguém que apoia o Alegre» apesar se apoiar Alegre. Quero ver quantos cavaquistas serão capazes de ver a coisa para além do derby politiqueiro... O Alegre é mais um desejo do que uma satisfação, neste momento. Enquanto que Cavaco é apenas auto-satisfação...

1:01 da manhã  
Blogger Mário Almeida said...

"Enquanto que Cavaco é apenas auto-satisfação... "

eu não me queria repetir mas...
isto vindo de alguém que "não apoia Alegre", apesar de apoiar Alegre, é no mínimo curioso. :-)

1:18 da manhã  
Blogger David Afonso said...

Pois... a repetição é uma consequência da auto-satisfação...

1:37 da manhã  
Blogger Mário Almeida said...

Eu acho que é mais uma causa, mas está bem.
:-)

2:03 da manhã  
Blogger Biranta said...

Cá para mim estão todos a "jogar em casa"!

1:15 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger