O Eleito

terça-feira, janeiro 24, 2006

In The End

Se me lembro bem, este blogue extingue-se depois das Eleições.
Assim sendo, acho que todos nós nos podemos orgulhar de termos, a exemplo dos senhores de Manuel Alegre, feito parte de um movimento cívico de debate. Se alguns acharam que o civismo se ausentou (e por isso se ausentaram), eu não posso concordar com eles, embora a sua decisão seja de respeitar.
Foi para mim uma grande honra fazer parte desta iniciativa (vénia aos Dolo Men) e espero que o sentimento seja partilhado por todos. Afinal, estivemos na linha da frente. Se o tempo (a falta de) e o imprevisto (o computador no estaleiro durante boa parte de Janeiro) me impediram de dar um contributo mais forte e assíduo, não me impedem de fazer um balanço final positivo desta jornada.
Apesar de a discussão da res publica ter sido suplantada pela discussão presidencial os pequenos debates e ideias não se perdem. Penso que todos saímos daqui um pouco mais ricos. Pelo menos um bocadinho. Menos o colega Biranta claro, que apesar de tudo ainda não percebeu que para ser eleito O Eleito tem de ter mais de metade dos votos validamente expressos. Isto exclui os brancos, segundo a Constituição. Mas mesmo que não excluísse (e não deveria), o professor seria eleito por 2745423 contra 2740189 (soma dos brancos com os dos outros candidatos). Isto porque os nulos, espero que concorde, não contam mesmo para nada! Ou quer o senhor considerar válidos boletins de voto com um orgão sexual masculino desenhado? Juízo.
Um abraço a todos e até sempre (e a almoçarada?). Só voltarei cá para responder ao caro Biranta.

Tiago Alves

13 Comments:

Blogger José Raposo said...

Ai que ninguém leu os estatutos.... até dia 9 de março ainda continuamos a debitar furiosa ideologia politica...

10:22 da manhã  
Blogger Biranta said...

Que bom Zé!
Então cá vai "furiosa ideologia" (se é política, ou social, ou particular, não sei nem me interessa).
Meu querido amigo Tiago! Já que estamos em "fim de festa" comportemo-nos em conformidade...
Eu não pretendo considerar "válidos" boletins de voto, ou outras coisas... Pretendo, isso sim, considerar as pessoas (eleitores) e suas opções, iguais. Esses boletins não são válidos, diz muito bem! então porque haverão de "ser válidos" para eleger um dado indivíduo? Por acaso há, nalgum desses boletins de voto, alguma coisa que lhe permita, a si, concluir que pretendem contar a favor desse candidato, ou beneficiá-lo, de algum modo? Ou será que a sua estrutura intelectual lhe permite aplicar aqui uma lógica de "punição", pela "traquinice", e a "punição" é ajudar a eleger Cavaco?
Apesar de eu ter muito pouco em conta os critérios de idoneidade do dito, acho que lhe deveriam perguntar se ele está de acordo com critério tão aberrante. Teremos, então, um Presidente não eleito pela maioria, mas eleito para punição de alguns "mal comportados" que vão fazer desenhos obscenos nos boletins de voto (mas, para isso, ainda teríamos que contar de modo diferente os que não contêm obscenidades)...
Meu caro, esses votos não devem contar, de facto (os eleitores e as suas opções, ou não opções é que devem contar e ser respeitadas)... mas, sobretudo não podem nem devem contar, de modo algum, para eleger seja quem for
Depois, para agravar os disparates, você volta a me dar conselhos (ou serão reprimendas?). E eu achava que já tinha deixado bem claro que não admito tais impertinências, muito menos a gente com "critérios" tão duvidosos e "democraticamente" pérfidos, como os seus... Mas, pelos vistos, há pessoas que nunca conseguem "aprender" o essencial; o qual seja: o respeito pelos outros, como forma de merecerem igual respeito.
Aquando dum célebre debate entre Soares e Cavaco, alguém escreveu aqui, e muito bem, referindo-se à figura triste de Soares que: "quem não tem vergonha todo o mundo é seu!"... Mas, comigo não! Competência, ou responsabilidade que seja minha, ninguém mais exerce, seja ela pessoal ou colectiva. É minha, e só minha, a competência e a responsabilidade acerca das minhas opiniões... Habitualmente, as minhas "opiniões" e avaliações, estão profundamente fundamentadas nos factos e na vida, bem como nas necessidades e responsabilidades da sociedade e do país. Compreenda que não está ao seu alcance, nem é da sua competência (até porque é necessário ter, também capacidades) dar-me conselhos ou "reprimendas".
Você pode achar-se muito ufano e superior porque pertence à "classe dominante" e achar que pode impor essa sua falsa superioridade aos outros. O problema é que os MEUS critérios não são esses. E, se você não se importar (mesmo que se importe, vai dar no mesmo) eu actuo e penso e exprimo-me de acordo com os MEUS CRITÉRIOS... porque é assim que manda a democracia.
Além disso, a sua superioridade não existe, porque cada um de nós tem direito a um voto igualzinho... é essa igualdade que eu quero ver "implementada"... porque é a falta de igualdade que nos tem destruido e continua a destruir...
Cavaco foi eleito com 31,1% dos votos e as consequências, desastrosas, dessa realidade irão ser-nos "debitadas" a todos. Você é um dos beneficiários? Isso não me interessa, o que me mobiliza é o bem comum (incluindo dos que votam nulo, dos que votam válido, dos que votam branco ou dos que não votam) e é esse que está comprometido... O bem comum, para poder ser considerado como tal, tem de ser (e pode e deve ser) reconhecido como tal pela maioria. Maioria superior a 50% dos eleitores... Ou você acha que as pessoas não sabem reconhecer uma coisa tão simples? Deve ser isso! Para si, os seus critérios provêm de "inspiração divina", por isso são superiores, evem ser impostos aos utros, não importam os "critérios" da democracia. Eu acho que só a democracia nos pode salvar...

1:36 da tarde  
Blogger Pedro Santos Cardoso said...

1. A referência ao Biranta não poderia faltar! Afinal, um dos ícones deste blogue. ;)

2. Caro José:
deparamo-nos com um grave problema existencial: se, por um lado, a data que consta nos estatutos é a de 9 de Março, por outro lado essa data foi escrita por lapso da redacção. Querer-se-ia dizer até ao dia das eleições. Mas temos de tomar uma decisão...

6:31 da tarde  
Blogger Biranta said...

Bolas!!! Já não estu a gostar disto! "Ícone"??
Acho melhor ir saindo... de mansinho.
Estou como o outro que dizia não querer ser "vítima" dum jantar de despedida...

8:36 da tarde  
Blogger Pedro Santos Cardoso said...

Calma caro Biranta! A última coisa que quis foi ofendê-lo! Quis dizer que, apesar de na maioria das vezes discordar de si, o Biranta foi uma das presenças mais fortes neste blog, tanto na postagem como nos comentários. Juro pela minha saúde.

9:07 da tarde  
Blogger José Raposo said...

Pedro por mim façam como entenderem melhor. Eu dava mais uma semana, ou seja até ao proximo domingo, para as ultimas reacções aos resultados e depois fechava a porta. Aliás, tenho uma proposta que é capaz de ser interessante desde que vocês (moderadores exerçam um forte controle. Propunha um blog "estado da nação" em que vocês lançam os temas mas com regas mais rigidas de resposta para a discussão da cada tema de interesse para o país não se arrastar indefinidamente. O que achas?

9:39 da tarde  
Blogger Tiago Alves said...

Caro Biranta, não era minha intenção amofiná-lo ou sequer dar-lhe conselhos ou reprimendas. Não posso deixar de notar, porém, que o senhor, ao exigir respeito e clamar contra a "minha" superioridade moral esquece-se dos ataques similares (ou ainda mais agressivos) que fez despoletar o processo que levou à saída de dois companheiros deste blogue.

Para mim contam todas as pessoas. Mas alguém que não exerce o seu direito de voto ou o exerce de modo nulo não tem opinião e não merece respeito nem atenção por parte da sociedade. É discutivel, mas é o que eu acho. 3 milhões quiseram ficar em casa? É pena é não sabermos quem foi, que era para quando os vissemos em manifs ou coisa do genero dar-lhes uma boa sova x)

Não acho que a sua tese (são válidos para eleger alguém) tenha qq fundamento lógico.. Mas já agora, o bem comum (brrr..) não será, segundo os SEUS critérios, o bem da maioria? E em quem votou a maioria? Estou a ver que o senhor é daqueles para quem a democracia, quando se perde, é uma coisa chata :\ O que acha de um Comite Central a dirigir-nos lá de cima? x) A ditar leis e a fazer de todos nós peões? Tudo em nome, claro, do bem comum..

Eu não sei mas cá para mim o colega Biranta na volta desenhou qualquer coisa no seu boletim de voto!

10:07 da tarde  
Blogger Pedro Santos Cardoso said...

Caro José Raposo:

Sim, estávamos a pensar dar um tempo para uma espécie de «rescaldo» eleitoral. Amanhã voltaremos em forma de post.
Quanto à sugestão do blog formato "estado da nação", penso que é uma boa ideia. Mas, para mim, os próximos dois meses vão ser críticos. Muito trabalho. Por isso, um projecto desses - seguramente mais exigente do que O Eleito (uma vez que neste último a figura do «moderador» tinha apenas funções de mero admninistrador)- só para depois de Abril.
Mas inverto o repto: serias tu o ou um dos moderadores nesse novo blog, criado por ti. Assim já aceitaria a proposta num curto prazo, visto tal não exigir tanta regularidade na postagem. Caso contrário, só mesmo daqui a uns tempos... Fica a ideia.

10:51 da tarde  
Blogger Mário Almeida said...

Caros colegas,

Também tinha ficado com a ideia que seria até ao dia da tomada de posse.

Pedro e David, ou vocês se mexem ou não há jantar para ninguém. Já sabemos como estas coisas são.

Acho um boa ideia a do José.

Abraço a todos

2:37 da manhã  
Blogger Tiago Alves said...

Hmm, acho a ideia porreira. Ainda nos juntávamos e criavamos um blogue ah séria, capaz de rivalizar ai com os colossos blogoesfericos x)

10:13 da manhã  
Blogger Pedro Santos Cardoso said...

José, Mário, Tiago:

ainda hoje falaremos do assunto da jantarada. Penso que o David tinha falado que estava disponível lá para o dia 4 de Fevereiro (eu estou sempre disponível...), que calha a um Sábado.
Mas logo falaremos melhor.

1:09 da tarde  
Blogger José Raposo said...

Fico à espera dessa jantarada, de qualquer forma em relação à minha proposta, não me sinto com arcaboiço para isso... e para estar a fazer algo que não conseguisse manter é melhor estar quieto... eu ainda luto nas distritais dos blogs e vocês já estão na Liga BetandWin... :)

1:53 da tarde  
Blogger Biranta said...

Tiago!
Veja só o que você diz: Todas as pessoas contam MAS.
A diferença, entre nós é que, para mim, todas as pessoas contam sem MAS.
O seu problema é do bem comum, já percebi... e de como deve ser definido (ou sancionado).
Afinal você é que é apologistas dum "comité Central" (ou duma cáfila de oportunistas, que dá no mesmo - perdoem-me os camelos)a debitar leis e a fazer de todos nós peões... para o bem comum MAS sem se importarem com a opinião maioritária entre os cidadãos, sem darem ouvidos seja a quem for... a não ser a interesses obscuros...
Mas deixe lá. Isto é um diálogo de surdos. Qual de nós tem razão a sociedade acabará por decidir...
Por mim podemos passar a coisas mais triviais e, por isso, mais consensuais

2:36 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger