O Eleito

segunda-feira, janeiro 23, 2006

Notas Pós-Eleitorais 1

A vitória de Cavaco é clara, no entanto não se tratou de um episódio de «favas contadas» como todos (todos: Cavaco, PSD, PS, Soares, Imprensa em geral, Garcia, sondagens, etc...) diziam que ía ser. Para já, duas certezas: as sondagens empolaram o desempenho do Professor (e de Soares...) e se a estratégia da esquerda tivesse sido mais consistente a cantiga agora era outra.

2 Comments:

Blogger CGP said...

As sondagens nunca deram mais que 50.6% a Cavaco de intenções directas de voto. O grande erro das sondagens foi terem feito uma distribuição proporcional de indecisos quando era evidente que os indecisos estavam quase todos à esquerda.
Se a esquerda tivesse decidido há um ano apoiar um só candidato, Alegre, os resultados seriam os mesmos. A dinâmica de Alegre surgiu por ser um candidato contra-poder. Há um ano, quando se ponderava a hipótese de um apoio do PS a Alegre, era unânime, mesmo na esquerda, que esse era um candidato para perder.

2:13 da tarde  
Blogger David Afonso said...

Karloos,
De acordo. Mas, mesmo com este alinhamento os resultados da esquerda (declarada) poderiam ter sido muito mais interessantes caso tivesse existido uma concertação miníma, por exemplo: não atacar adversários a esquerda. Nestas eleições os candidatos de esquerda (declarada) portaram-se como verdadeiros cães enraivecidos. Morderam em tudo o que mexia. Às vezes até nas suas próprias canelas.

PS: é sempre bom o ter por cá.

2:34 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger