O Eleito

domingo, dezembro 18, 2005

A Defesa Da Língua Portuguesa

Pescando nas águas dos jornais da semana passada: admirava-se Pulido Valente - e com toda a razão! - que Cavaco tivesse a lata de afirmar que um dos papéis do PR era «incentivar a língua portuguesa». A avaliar pelas prestações do candidato estamos bem arrajandos! Ou talvez não. Talvez os silêncios milimetricamente programados do candidato e a respectiva língua de pau representem o que de melhor alguma vez Cavaco poderá fazer pela língua portuguesa...

PS: esta blague do Cavaco foi largada justamente no debate com Alegre. O homem não se enxerga?

2 Comments:

Blogger Gaspar VS said...

'Cavaco explicava há dias - não garanto que por estas exactas palavras - que o país precisa de inovação, imaginação, ousadia e sentido do risco.
Nem mais: sabe sempre bem constatarmos que há alguma coisa em que concordamos com os nossos oponentes.
Porém, a ser assim, a gente pergunta-se se Cavaco se imagina a si próprio com essas qualidades.
Inovação? Há quantas décadas terá ele inovado pela última vez, nem que fosse só ao nível do discurso?
Imaginação? Bom, bom, cuidadinho para não sair asneira...
Ousadia? Tal como, por exemplo?...
Sentido do risco? Teremos o mesmo dicionário?
Inovação, imaginação, ousadia e sentido do risco - eis, pois, o que recomenda o professor Cavaco. Que é como quem diz: votem Soares'
- João Pinto e Castro

3:37 da manhã  
Blogger Salvador said...

certo, isto de vez em quando é para criticar o Cavaco que fala demais, e outras vezes a criticar pelos silêncios.

mas qual silêncio?

3:01 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger