O Eleito

domingo, outubro 30, 2005

Não, Claro Que Não. Dez Anos De Primeiro-Ministro Não Foram Uma Profissão.

Mas, afinal, o que é o exercício de uma actividade profissional? É que se for, como eu penso, trabalho [em sentido amplo], exercido com uma certa habitualidade e mediante contrapartidas monetárias, Cavaco foi [é] um político profissional - assim como professor. Não importa qual das profissões exerceu por mais ou menos tempo: ambas estão tatuadas, agarradas, coladas, agrafadas ao seu curriculum. Até porque qualquer uma das actividades - professor e político - foi exercida por longos anos. Já estou mesmo a ver: se Cavaco ganhar a Presidência, vem-nos com a história de que é canalizador profissional.
Cavaco não foi um político profissional? Permite-me, David. Ceci n'est pas une parapluie.

7 Comments:

Blogger Mário Almeida said...

Caro Pedro,

Por alguma razão usaste o pretérito perfeito. Cavaco FOI enquanto Primeiro-Ministro um político profissional. Mas político profissional no sentido em que ele o disse, ou seja, alguém que faz da sua vida o exercício de cargos políticos, isso não É.

Num post anterior dei exemplos de políticos profissionais. Agora vou pelo outro lado : Pacheco Pereira, Fernando Rosas, Helena Roseta, Nuno Cardoso, Ângelo Correia, Lobo Xavier, Marcelo Rebelo de Sousa - são políticos profissionais ?

De qualquer das maneiras, a discussão só ganhou alguma importância porque Mário Soares resolveu pegar nesse ponto para acicatar Cavaco Silva. Para o levar para o combate político em que ele está tão à vontade. Até aqui é perfeitamente legítimo.

Mas também é preciso dizer que o fez de uma forma demagógica. Perguntar porque recebeu então a reforma de Primeiro-Ministro é, convenhamos, muito baixo. E revela desespero

4:51 da tarde  
Blogger Tiago Alves said...

Revela sim senhor. Cá para mim foi a Joana Amaral Dias que lhe deu a ideia. Aquilo foi uma saída mesmo "à Bloco". Perdoem-me os simpatizantes..

5:56 da tarde  
Blogger Pedro Santos Cardoso said...

Caro Mário,
podias perfeitamente ter feito um post com o conteúdo do teu comentário!
1. «por alguma razão usaste o pretérito perfeito. Cavaco FOI enquanto Primeiro-Ministro um político profissional. Mas político profissional no sentido em que ele o disse, ou seja, alguém que faz da sua vida o exercício de cargos políticos, isso não É.»
Mário, o homem foi 10 anos primeiro ministro (não está a fazer da sua vida o exercício de cargos políticos?); depois, tentou ainda candidatar-se a presidente (e então só voltou a dar aulas PORQUE perdeu as eleições); AGORA volta a ser candidato a presidente (se for eleito, não é um político profissional?). E depois deste curriculum todo, pergunto: Cavaco não é político profissional?
2. Quanto a Mário Soares, apesar de não ser o meu candidato (que é Manuel Alegre), penso que tinha toda a razão no que afirmou.
3. Vamos a assuntos não menos importantes: A JANTARADA. Propomos o seguinte: colocamos publicidade num local discreto, no blogue. Quanto o blogue se der por encerrado, usamos o dinheiro (que provavelmente chegará) para financiar a jantarada. Que dizem? Só avançamos, ao bom jeito democrático, com aprovação da maioria da malta do blog.
FICAMOS À ESPERA QUE SE MANIFESTEM NESTA CAIXA DE COMENTÁRIOS.

6:57 da tarde  
Blogger Luís Bonifácio said...

Quando alguém refere o termo "Politico Profissional" geralmente está a referir-se a uma personagem politica que não tem existência profissional (entenda-se competência) para alêm do universo politico. Este termo tem uma conotação injuriosa, pois é usado para classificar elementos mediocres, que ocupam os escanhos de S. Bento e outros gabinetes bem pagos, sem que demonstrem qualquer espécie de competência. Neste caso é usual incluir Pedro Passos Coelho, Sérgio Sousa Pinto, José Sócrates, Manuel Monteiro e muitos outros "politicos" oriundos das "jotas", que reconhecidamente nunca conseguiriam destacar-se em qualquer outra profissão, pois a maior parte deles possui apenas o 12º ano, havendo alguns que lá conseguem a muito custo terminar um cursozito de direito, ou uma engenharia de parafuso de rosca esquerda, para enfim terem um titulozeco à frente do nome.

Mário Soares é sem dúvido um politico profissional, mas ao contrario dos acima citados distingui-se positivamente, pelo menos entre 1975 e 1985,
Já Cavaco Silva não merece este epiteto, pois para alêm da politica distingue-se e de que maneira na sua área de formação onde é um reputado fiscalista e um bom professor universitário, em suma, Cavaco não precisa da Politica para Sobreviver.

7:36 da tarde  
Blogger Luís Bonifácio said...

Já agora porque não uma jantarada intermédia, na noite das eleições, de modo a acompanharmos em directo, e já agora no blogue, a evolução dos resultados.

10:01 da tarde  
Blogger David Afonso said...

Luis,
Isso era excelente! Uns mexilhões de escabeche e uma caldeirada de enguias, meu deus! Era feliz, mesmo que cavaco ganhasse!

2:29 da manhã  
Blogger Mário Almeida said...

david,
mandei um mail para o blogoeleito. não recebeste ?
pergunto porque estou com alguns problemas no webmail.

6:27 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger