O Eleito

quarta-feira, outubro 26, 2005

Sai Uma Bifana Quentinha À Karloos

Reposta a este post do Karloos:
Resposta: O bar deve ser colocado exactamente à direita do bar que já existe. Ficará assim mais próximo dos clientes que estão na direita da praia, dos que estão no centro e ainda estará em condições de competir por aqueles que estão na parte esquerda.»
Resposta errada. Resposta certa: uma das hipóteses é a do bar ser colocado à direita que ainda é esquerda, como outra dela é a de ser colocado à direita que já é direita. Se for à direita que já é direita, encontrará alguns clientes do centro, mas poucos à esquerda do centro. Se for à direita que ainda é esquerda, terá poucos clientes para além da linha do centro, mas muitos do centro para a esquerda.
2. Sim, não que sei idade tem, mas votaria em Manuel Alegre daqui a 5 anos.
3. Sobre este post do Tiago Alves, eu ainda direi o que penso.
4. «A grande virtude da existência desses monarcas é que graças a eles esses países não têm um Presidente da República.»
Não é a direita que critica insistentemente o [alegado] facto de os candidatos de esquerda "concorrerem todos contra Cavaco Silva"? Não será o vosso argumento idêntico? Será o vosso argumento «Bom, temos um Rei, mas pelo menos não temos um Presidente!»
5. «(imaginam a força política que tem a Raínha de Inglaterra no Canadá)»
Kim Jong II, Fidel Castro e Mugabe também têm força política nos respectivos países. Mas essa não é a questão. A questão é: que benefícios traz essa força política, que superem as desvantagens de ter alguém que ascendeu a Chefe de Estado não por mérito próprio, antes porque era filho de alguém?
6. Prefiro assim, sem dúvida!
7. Quando o David e eu iniciámos o blog, elaborámos aquele grupo de normas mínimas a seguir pelos bloggers. É claro que aquilo são normas imperfeitas, porquanto não têm sanção. A única sanção é, como na democracia, a responsabilidade política - que não é nenhuma: de entre vários caminhos, escolhe-se uma opção.
8. Quais partes dos estatutos são restritivas?

3 Comments:

Blogger CGP said...

1. O problema será uma metáfora ao melhor posicionamento de Cavaco Silva que, não tendo oposição à direita, está a colocar-se em posição de discutir eleitorado à esquerda.
4. Não percebo a comparação.
5. A força política da Raínha de Inglaterra no Canadá é quase nula. Assim como a força de Juan Carlos em Espanha. No extremo oposto da força politico dos líderes que referiste. A minha súbita atitude monárquica tem mais a vêr com uma crítica ao semi-presidencialismo. Obviamente que os monarcas europeus são uns fantoches que vendem revistas. Todos esses regimes não passam de uma espécie de presidencialistas em que o primeiro-ministro assume o papel de presidente.
8. Essa parte do meu texto era, claramente, a brincar.

abraço

11:21 da manhã  
Blogger Pedro Santos Cardoso said...

1. Eu percebi.
5. Mas, de qualquer forma, fico sem saber qual é a tua crítica concreta ao semi-presidencialismo: o de o Presidente (como os monarcas euopeus) serem fantoches? Mas o Presidente, neste sistema, não é um fantoche!
8. Eu sei Karloos. E o meu texto era também um pouco hiperbólico. Caso queiras usar a tua formatação própria, à vontade, não vou perder o meu sono - era mais por uma questão de estética, já que se cada um escrever a seu modo nem monarquia nem república: é a anarquia.

1:21 da tarde  
Blogger CGP said...

Não é fantoche mas devia ser. Os nossos dois últimos presidentes foram claros instrumentos políticos do PS. Soares passou, claramente, os últimos 5 anos do seu mandato a tentar recolocar o PS no poder. Sampaio demitiu um governo de maioria absoluta alguns meses depois de o ter legitimado. Penso que já chegará o facto de os governos terem que governar para ciclos eleitorais de 4 anos para ainda terem que agradar a um presidente que lhes pode acabar com o mandato a qualquer momento.

1:36 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger