O Eleito

domingo, dezembro 04, 2005

Memória

Mais um blog, desta vez sobre a memória (documentada) do Professor-Técnico-Ex-político e agora Candidato Presidencial Cavaco Silva: Amnestesia©Anibal

Cá fica uma amostra (a azul):

Um famoso almoço


(Autobiografia Política, volume 1, pag 50)

PERGUNTA: PORQUE NÃO CONTA CAVACO SILVA O QUE FOI DECIDIDO NESSE ALMOÇO?

Sá Carneiro queria tomar medidas populares. Medidas eleitoralistas. E foram tomadas? O que fez o ministro das Finanças de Sá Carneiro? Demitiu-se? Não. Mas passados vinte anos vem deixar a lama aos pés de Sá Carneiro. Mas ele quer passar incólume. Incólume de quê?

Leia-se o artigo do economista José Silva Lopes sobre essa altura económica:

“A economia portuguesa foi assim atingida por um golpe duplo: por um lado, a subida dos preços do petróleo; por outro lado, a queda da procura das exportações (...). O equilíbrio da balança de pagamentos foi seriamente afectado (...) Face a estas condições a orientação da política económica foi oposta à que se seria de esperar”



(A Economia Portuguesa depois do 25 de Abril: 1974/1990)

E como foi que se ganhou essas eleições? Que medidas foram tomadas?


As medidas eleitoralistas



(A Economia Portuguesa depois do 25 de Abril: 1974/1990)

Silva Lopes ainda: “Os défices da balança de transacções correntes saltaram para níveis catastróficos (...) Por causa dos défices, assistiu-se a uma explosão da dívida externa (...). No fim de 1982, a banca internacional perante a crescente procura de novos empréstimos, estava a mostrar-se muito renitente em relação a Portugal. Foi por isso necessário voltar a efectuar vendas de ouro”.

Ou seja, o professor-técnico que tanto fala de rigor, não teve nenhum problema em criar um desiquilíbrio brutal nas contas públicas por razões eleitoralistas. E ainda andam para aí a falar do défice à boca cheia, quando tudo começou no Governo AD...

5 Comments:

Blogger Luís Bonifácio said...

Esquece-se de uma pequeno promenor. Ninguém sabe o que faria Sá Carneiro no seu segundo mandato.
A politica económica do seu primeiro governo tinha como único objectivo a vitória nas eleições, o que, em principio, lhe permitiria ganhar elan para destruir o poder ilegítimo do Conselho da Revolução, que tudo fazia para manter Portugal no marasmo económico.

1:17 da tarde  
Blogger Paulo said...

Pois, o que Sá Carneiro iria fazer não sabemos; o que sabemos foi o que Cavaco fez com essa herança...

1:27 da tarde  
Blogger Tiago Alves said...

Com essa herança, Cavaco colocou o País a crescer a 3% ao ano (lembra-se Paulo? ), fez dos caminhos de cabras que existiam auto estradas e colocou milhares de terras no mapa. Mais? Criou uma lei muito boa que infelizmente, por imperativos de défice, o eng Guterres viria a revogar: o facto de o diheiro das privatizações ir direitinho para a divida publica. Além disso, fez do País um exemplo em termos de nível de bem estar. Equilibrou a moeda, preparando-a para o euro (decidido em 92) e dotou o país de edifícios à altura (CCB, Terminais rodo e fluviais), criou condições para os IDE (auto europa, por ex.) e ainda liberalizou a C.Social. É obvio que não foi perfeito..ninguem o é. Mais que não seja, criou uma onda de confiança nos portugueses, fe-los acreditar e ajudou a potenciar todas as energias para o pais andar para a frente. Não vou continuar a enumerar.. um abraço aos companheiros

6:28 da tarde  
Blogger Salvador said...

Inflação antes de Cavaco Silva (1984): 29 %

Inflação depois de Cavaco Silva (1995): 4 %

Fundos europeus recebidos no governo de Cavaco Silva (média por ano de governação): 1.230 M€

Fundos europeus recebidos no governo de Guterres (média por ano de governação): 3.800 M€

A defender os governos de Cavaco só precisamos dos números. Nos governos de Cavaco ele é o responsável. Como ministro das Finanças não é só ele. Além disso, ele próprio admite o que fez no seu livro, que é a fonte deste post. Este post dá é mais uma machadada no argumento da falta de humildade de Cavaco Silva. Já toda a gente sabia que ele tinha feito erros a governar.

um abraço

8:26 da tarde  
Blogger Mário Almeida said...

"Ou seja, o professor-técnico que tanto fala de rigor, não teve nenhum problema em criar um desiquilíbrio brutal nas contas públicas por razões eleitoralistas. E ainda andam para aí a falar do défice à boca cheia, quando tudo começou no Governo AD..."

E o Sá Carneiro sabia e não fez nada ?

12:49 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger